quarta-feira, fevereiro 07, 2007

SERÁ QUE NADA MUDOU?!


O Girobrasil tem me levado a vários estados brasileiros (MS, SP, RJ, MG, DF, GO, TO, PR,RS), e muitos há por vir. Tenho visto lindas paisagens, conhecido boas pessoas. Gente que faz a diferença, acredita e luta por uma realidade diferente. Mas uma coisa tem me intrigado e revoltado.
Em todos os lugares por onde passei quando vejo mendigos, catadores de materiais recicláveis ou moradores de rua, na maioria, quase totalidade, são negros. Ou como se diz no popular (carregado de preconceito) "escurinhos". E vai desde crianças até idosos. Como por exemplo a dona Castorina Alves da Costa, 67, catadora há 06 anos. "Encontrei aqui a unica forma de levar comida pra casa. Catando e vendendo papel", explica.
Não que não existam brancos nessas condições, mas são minoria (ao menos é o que percebo); e não estou defendo igualdade pra ser pobre e "excluído". Estou mesmo é indignado com essa discriminação e exclusão social. Até quando vamos suportar isso? Até quando vamos aceitar como "normal" que uns comam e durmam bem enquanto outros são jogados a própria sorte? Tanto já se fez pelo combate a discriminação e exclusão, mas será que pouco avançamos?
Sei que esse tema já é desgastado pelos discursos políticos, e que até existem algumas ações com o objetivo de reverter a situação. Mas quero provocar você leitor: o que você tem feito no seu dia-a-dia para diminuir essa desigualdade? Essa brutal desigualdade.
Creio que cada um, no seu cotidiano, pode e deve pensar e agir. Mudar o rumo, dar outro sentido e ser mais humano e fraterno. Todas as ações são interligadas, quer a gente aceite ou não; o que se faz aqui se reflete ali. Pode ser que o próximo excluído seja alguém bem próximo a você. Que bom seria se dona Castorina pudesse estar desfrutando a velhice que já lhês é imposta.

7 comentários:

Anônimo disse...

Amigo!?!
“Mudança” realmente é a palavra de ordem!!!
Fica bem
Abraço
Ricardo Rigo

Diogo Damasceno disse...

Desejo boa viajem, Eduardo!
Siga bem...rs...
Abraços goianos,
Diogo.

Anônimo disse...

"Fazemos parte de um arco-íris de diversas cores e que o racismo está nos deixando cegos para essa maravilha que é a diversidade humana e da vida no mundo. Pq o melhor do mundo é a quantidade de mundos que ele contém"
Amore, muitos beijos pra ti e fique com Deus!!!!!
mari sena

Elanio disse...

Sucesso aí na viagem Eduardo!!!

luzdoluaremversoseprosa disse...

Existem situações que nem precisam nos ser provadas(os agentes estatisticos que me perdoem,ás vezes acredito mais no que vejo do que nas pesquisas)tais verdades que a da população que vive na rua,ou os catatores de reciclaveis é em sua maioria negros(e isso no país inteiro,não circulei o país p/ acreditar nisso)sabemos pela história de nosso país.O que chamou minha atenção foi a foto da senhora que foi postada,está muito apropriada para representar a realidade desse povo sofrido que trabalha arduamente da INFÂNCIA à VELHICE,mas esperava também a foto que representasse os negros que vivem nesta mesma situação.

Gleice disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gleice disse...

nossa muito interessante essa sua viagem q vc esta fazendo Eduardo.. cada lugar que vc visito..cada cultura.. povos diferentes.. o modo de vida deles sao realmente fascinante, voce esta mostrando a verdadeira realidade da vida dos brasileiros!

Bjx e boa sorte!