segunda-feira, março 26, 2007

A BAHIA...É DE QUEM?

Nas margens da BR 101 o retrato de um Estado, a Bahia que nem é de todos os "santos" ou pecadores... Segundo o Instituto de Pesquisas Econômicas, 54,9% dos baianos, ganham até meio salário. Não vivem, sobrevivem, em todas as condições possíveis para o sub...e muitos nem estão computados, pois nem "existem" na formalidade...estão as margens...de BRs e da vida.

Cenário comum no caminho para a Bahia (que tem belas paisagens e importância histórica), são placas como esta ai na foto, pedindo comida. O contraste de um Brasil: as mazelas sociais ao lado de cercas de fazendas verdes e ricas. A terra que reúne curiosidades da época do cacau, do descobrimento e que ainda deixa descoberta a dignidade e enterra sonhos. Na parada para essa foto conversei com o senhor José, desempregado, que vive a margem da BR há 05 anos e conta com a sorte de uma ou outra caça para sobreviver...junto a ele a familia, com 04 filhos pequenos.
Visitando Porto Seguro, paraíso do "descobrimento" do Brasil, as praias encantam, mas e o que fazem pelos índios pataxós? Na sua antiga morada uma cruz que é referência turística (a da primeira missa no Brasil, quando da chegada de Cabral), entre uma foto e outra de quem visita o local vale pedir e rezar pra conseguir um trocado. Ou quem sabe eles se interessem em comprar um ou outro artefanato indígena, ou fazer o que indica a placa. Segundo dados do UNICEF e o IBGE de uma população no total: 19.715 índios Baianos mais da metade vivem em estado avançado de pobreza. 71% das crianças e adolescentes INDÍGENAS vivem em situação de miséria. Metade da população não têm acesso a água tratada. E 21% dos meninos e meninas indíos entre 7 E 14 anos estão fora da escola. 15% com idade entre 10 e 15 anos são analfabetos. Enquanto que a riqueza do Estado se concentra nas mãos de poucos, bem poucos...Minha dúvida: de quem é mesmo a Bahia???

5 comentários:

luzdoluaremversoseprosa disse...

"Quando era criança assisti na escola um filme(documentário) que se chamava Ilha das Flores,este final de semana tive a oportunidade de reve-lo,retrata a vida dos moradores da ilha dos marinheiros em Porto Alegre e quando revi questionei-me é possível e infelismente possível que a situação deles não tenham mudado,o filme revela todas as cenas de contrastes da abundância á miséria,estes extremos que nos incomodam,esta repetição do caos,da dor...que ocorre em todos os cantos do nosso país,que é tão rico e tão miserável...sonho em reler esta reportagem e pensar que foi um passado cruel que passou de verdade...

Anônimo disse...

Oooooooooooooooohhhh terrinha maravilhosa... bem a realidade e essa mesmo, porem o povo torna a terra mais bonita. o que seria do brasil sem os brasileiros ne?
boa sorte nesta sua caminhada... e que Deus ilumine todas as estradas que vc passar. beijooooooooo

Elisia disse...

É! eu te falei q a bagagem vai ser grande.Quando saimos para fazer turismo no nosso pais só enchergamos as paisagens lindas que temos, e esquecemos de ver a miséria que envolve essas paisagem,mas visitando teu blog conseguimos enchergar os dois lados da moeda,é uma pena que num pais tão rico em beleza exista essa miséria que as pessoas fingem em não enchergar,nossas estatística esta muito longe dos números politicos da pobreza e da miséria.Mas o q fazer se nós cidadãos não aprendemos a votar por um pais melhor.beijão de sua amiga Rosi

Rodriggo disse...

Cada canto que voce anda por este país vai ao encontro de uma na~ção batalhadora, sofrida e que com o pouco que ganham fazem milagres. Infelizmente a realidade nordestina é uma das piores do mundo, embora com raça e dignidade inúmeras famílias fazem até o impossivel para conseguirem um prato de comida ou até mesmo um balde d'água. Parabéns pelo texto, adorei e continue com muito exito seu Girobrasil...se cuida rapaz

Anônimo disse...

Silvana Estrela comenta...
Seu texto retrata a triste realidade do nosso Brasil.
Poucos com tanto e muitos vivendo na miséria.Estes vivem como podem e quase anônimos.Aqueles,com tanto realmente são felizes?Muitos tão insensíveis,outros coruptos...
Há os caridosos,mas que não darão conta de toda a miséria existente.
Só rezando...