quarta-feira, novembro 22, 2006

IR OU FICAR?

Chegar, ficar. As horas vão passando, as amizades nascendo. Uma apresentação aqui, outra acolá. Um projeto novo, um desafio maior, uma esperança de mudanças (no sentido literário) de poder deixar uma contribuição e também levar algo. Aos poucos a sensação é de estar inserido no processo local, de fazer parte da história e da realidade do lugar. Respirar. Sonhar e voltar com os pés no chão. Aqui no Tocantins estou superando o limite de dias imaginado (e bem acima, já estou há 15 dias, quando o pensado eram 08). As coisas vão acontecendo. Surgem propostas de trabalho, desafios e ao mesmo tempo o reconhecimento de um sonho (e na verdade preciso de trabalho, pois não há patrocinador no Girobrasil).
as redes se fazem...
Uma saída, um bar, uma oficina teatral, no encontro entre amigos, em uma universidade; se conhece pessoas, gente. E quase como uma regra química os semelhantes se encontram (ou se opoem?). Tenho conhecido uma galera de sangue bom, professor José Manoel, Professora Lia, Patricia (e toda turma da Visão Mundial), Artemisa, Edilberto, e a família do Welliton, que acreditam em transformação social. Gente do bem. Amigos e parceiros. Aos poucos vamos tecendo a rede da vida, pois é assim que vivemos, em rede. Já dizia Fernando Pessoa: "Nenhum homem é uma ilha". È preciso estar em conjunto, em coletivo.
O calor e as chuvas repentinas do norte delimita o sentimento humano, da presteza e do agrado. È preciso olhar com calma para não se entregar de vez.
ir ou ficar...
A entrega às necessidades culturais, a receptividade do povo. Ir ou ficar? Reflexão indispensável. Em breve irei, e preciso prosseguir. Mas preciso cumprir algumas agendas assumidas (e ficar atento, pois a cada dia me surgem novos convites, confesso que me faz bem, sinto reciprocidade, mas há muito a conhecer ainda pelo Brasil). Que os leitores tenham a certeza que a cada dia (mesmo diante das dificuldades encontradas) afirmo meu pensamento de que há gente que gosta de gente. Que gosta com a pureza do humano (ao mesmo tempo complexo), que gosta de forma gratuita e livre. E que faz disso uma forma de vida.

10 comentários:

Anônimo disse...

OI Edu.

Você tem feito o que muitos de nós gostaríamos de fazer em algum momento de nossas vidas. Conhecer pessoas de diversas idades, cores, jeitos. Conhecer este brasilzão de Deus, que é lindo e encanta pela sua diversidade.Curta cada minuto. Torço muito por vc.
Bjão.
Déborah

cleber dias disse...

opa, opa,opa!!!!
que negócio é esse de dúvida de ir ou ficar??
como ficamos nós aqui??
a saudade meu irmão...meu presente de natal é um abraço teu...olha lá hein??? fui um bom menino e o bom velhinho não vai me decepcionar....
abraço mano!!!

Anônimo disse...

Fala amigo Edd!?!
Cara que aventura... só troço para que este Giro seja sempre especial como leio nos seus textos!!!
Sorte, saudades e abração
Rigo

ketren disse...

Olá Eduardo!
Fiz a maior propaganda sobre a oficina de teatro, meus colegas de serviço (CCZ/Araguaína-TO) ficaram bem animados em participar das próximas oficinas, espero q realmente comparecem e prestigiem seu maravilhoso trabalho, e sucesso e q Deus te abençoe.
Bjim,
Ketren

Bia Ramos disse...

Adorado Romero,
Edmundo Cohen disse:o passo seguinte não é o próximo,o passo seguinte é o necessário para termos a certeza de que continuaremos caminhando juntos unidos pelo mesmo sentimento de liberdade o passo seguinte ´e a nossa vontade de dar todos os próximos passos seguintes...então meu amigo eu Bia digo para você:as portas ficarão abertas !!! Se seu coração estiver repleto de confiança suas palavras determinarão o impossivel...

Paz e Bem .

Bia Ramos.

marcelo disse...

ola sr. andarilho, estou conhecendo sua peregrinação atraves do nosso amigo em comum Ivo leite de goiaba, gente boa ele, e o mesmo me informou que voce se encontra em araguaina, e talvez pretende vir a palmas, caso isso se realize, entre em contato, pois nao prometo muita coisa, mas conte comigo se conseguir ajuda-lo em alguma coisa.
entre em contato
e quero saber um pouco dessa sua aventura..
abraços
marcelo
debritovaladares@yahoo.com.br

Gabriel disse...

Ir ou ficar, não. Uma resposta para isso, para mim, seria Ir e ficar, ou então, Ir e voltar!

Você está conhecendo e abrangindo, e é isso que te traz as recordações e as (possíveis) vontades de voltar ou não.

Aqui em Goiânia, a vontade é grande deste teu retorno, tu sabes!

Boa sorte! Apareça!

carlos disse...

OLa!! TUDO BEM? ESTAMOS AGUARDANDO O CONTATO COM O PESSOAL DA EXPOSIÇÃO, POIS PRETENDEMOS ENVIAR O MATERIAL ATÉ SEXTA FEIRA E NÃO TEMOS NENHUM ENDEREÇO E NÃO SABEMOS PARA ONDE MANDAR, AGUARDAMOS CONTATO BEIJOS LIA E CATINI

Willian disse...

olá! amigo Eduardo, acho você um kra mui legal,e que desafia os limites da propria vida....No entanto te desejo todo sucesso...vá acredite e lute pelos seus sonhos... no final do projeto quero receber uma copia do documentario afinal sei que será mui fantastico...Pela sua capacidade, empenho....Afinal pra nós de Wanderlândia - TO e do Estado do Tocantins vc é mui importante e tem historia e não só uma passagem..........Abração...Que o Deus da vida possa acampar seus anjos a cada passo que você der na vida .....de seu eterno amigo Willian

luzdoluaremversoseprosa disse...

Bom que tem prosseguido...e muito bem .Ainda faltam alguns meses para concluir o seu projeto e a cada postagem feita eu avalio daqui o quanto tem sido bom pra mim ler seus textos e para você então ...nem se fala né?Viver cada momento desss o quanto cescimento tem lhe trazido.
Parabéns,
felicidades!!!